Procurar por:
Mestrado na Espanha

Já pensou em fazer o mestrado na Espanha? 🇪🇸

Está aberto o período de inscrição nos programas de mestrados de todas as Universidades da região da Andaluzia. (Sul da Espanha).

Cada programa tem seus próprios requisitos, mas em geral não é necessário apresentar projeto para ser aceito. A seleção é totalmente objetiva.

São MUITOS programas em todas as áreas do conhecimento e o melhor de tudo é que o valor do curso inteiro normalmente não passa de mil euros!

Tem programa presencial, semipresencial e também totalmente online. Corre lá no site para solicitar uma vaga!

Clique aqui para se inscrever

Prazo: de 14 de junho a  9 de julho!!

Resultado: 29 de julho

Quer conhecer os programas oferecidos? Clique aqui

 

Documentos necessários:

  1. Passaporte /NIE
  2. Diploma
  3. Histórico escolar
  4. Atestado de acesso a pós-graduação 
  5. Atestado de sistema de avaliação da universidade 

Para alguns programas:

  • Comprovar o conhecimento de idioma (espanhol e/ou inglês)
  • Carta de motivação 
  • CV 
  • Comprovar experiência (profissional e acadêmica)
Universidades de medicina na Espanha

 

Notas de cortes das universidades públicas de 2020/2021

Por ordem de nota

 

UNIVERSIDADE

TIPO

CIDADE

NOTA DE CORTE

Universidad Autónoma de Madrid

Universidad Pública

Madrid

13,075

Universidad Complutense de Madrid

Universidad Pública

Madrid

13,044

Universitat de València

Universidad Pública

Valencia

13,018

Universidad de Extremadura

Universidad Pública

Badajoz

12,965

Universidad Miguel Hernández de Elche

Universidad Pública

Alicante

12,921

Universidad de Alcalá

Universidad Pública

Madrid

12,918

Universidad de Granada

Universidad Pública

Granada

12,904

Universidad de Sevilla

Universidad Pública

Sevilla

12,890

Universidad de Málaga

Universidad Pública

Málaga

12,845

Universitat Jaume I

Universidad Pública

Castellón

12,838

Universidad de Córdoba

Universidad Pública

Córdoba

12,791

Universidad de La Laguna

Universidad Pública

Santa Cruz de Tenerife

12,720

Universidad de Cádiz

Universidad Pública

Cádiz

12,709

Universidad de Castilla La Mancha

Universidad Pública

Campus Ciudad Real

12,679

Universidad de Castilla La Mancha

Universidad Pública

Campus Albacete

12,668

Universidad de Salamanca

Universidad Pública

Salamanca

12,654

Universidad de Murcia

Universidad Pública

Murcia

12,640

Universitat de Barcelona

Universidad Pública

Barcelona

12,634

Universidad de Zaragoza

Universidad Pública

Zaragoza

12,516

Universidad Pública de Navarra

Universidad Pública

Navarra

12,500

Universidad de Las Palmas de Gran Canaria

Universidad Pública

Las Palmas

12,498

Universitat Pompeu Fabra

Universidad Pública

Barcelona

12,494

Universidad de Oviedo

Universidad Pública

Asturias

12,487

Universidad de Valladolid

Universidad Pública

Valladolid

12,476

Universidad del País Vasco

Universidad Pública

Vizcaya

12,441

Universidad de Santiago de Compostela

Universidad Pública

A Coruña

12,408

Universidad de Cantabria

Universidad Pública

Cantabria

12,355

Universidad de Zaragoza

Universidad Pública

Huesca

12,354

Universitat de les Illes Balears

Universidad Pública

Illes Balears

12,284

Universitat de Girona

Universidad Pública

Girona

12,197

Universitat Rovira i Virgili

Universidad Pública

Tarragona

12,182

Universitat de Lleida

Universidad Pública

Lleida

12,180

Universidad Rey Juan Carlos

Universidad Pública

Madrid

12,884

Universitat Autònoma de Barcelona

Universidad Pública

Barcelona

12,300

Quer conferir a lista de todas as Faculdade de Medicina da Espanha e quantidade de vagas?? Clique aqui

Hoje vamos falar sobre nacionalidade espanhola por “valor de simple presunción”.

Olá senhoras e senhores,

Tenho vários vídeos falando sobre nacionalidade, vou deixar aqui o link para você ter acesso a todos eles, mas hoje quero falar sobre uma situação muito específica.

“valor de simple presunción” É quando podemos solicitar a nacionalidade de origem mesmo quando os pais não são espanhóis.

Como eu explico nos vídeos, o critério que Espanha utiliza para conceder nacionalidade é o critério sanguíneo (Ius sanguinis). O critério de atribuição de nacionalidade pode ser territorial, sanguíneo ou pode ser os dois ao mesmo tempo. Mas a Espanha utiliza o critério sanguíneo.

Por esse critério uma criança filha de pais espanhóis (pode ser só o pai ou só a mãe) vai ser espanhola, independente de onde ela nascer.

Por isso, a princípio, se nenhum dos pais são espanhóis e a criança nasce em território espanhol a regra é que essa criança não tem direito à nacionalidade, porque a Espanha não utiliza o critério territorial.

No entanto, no artigo 17 do Código Civil Espanhol existe uma possibilidade que se os pais são de alguma nacionalidade que não transmite ao seu filho por ele ter nascido fora do território de origem, essa criança para não ser apátrida (ficar sem nacionalidade), vai ter direito à nacionalidade espanhola.

Esse é o que chamamos “simple presunción” e está pensado exclusivamente para caso em que os pais são nacionais de algum país listados pelo governo espanhol. Não é necessário que os pais tenham a mesma nacionalidade, mas sim que ambos sejam de algum país da lista:

  • Argentina
  • Bolivia
  • Brasil
  • Cabo Verde
  • Colombia
  • Costa Rica
  • Cuba
  • Guinea Bissau
  • Panamá
  • Paraguay
  • Perú
  • Portugal
  • Santo Tomé y Príncipe
  • Uruguay.

(Existem mais três países na lista com algumas condições especiais, Equador, Marrocos e Palestina.)

A criança nascida em território espanhol e filha de pessoas de alguma dessas nacionalidades terá direito à nacionalidade espanhola.

O importante para nós brasileiros, é que o Brasil está na lista.

Vamos ver diferentes situações:

Situação 1: Um brasileiro vem para espanha e conhece uma espanhola e juntos tem um filho:

Não existe dúvida de que essa criança vai ser espanhola porque o critério principal é o sanguíneo, então a mãe vai passar a sua nacionalidade para esse filho.

Também vice-versa, uma mulher brasileira vem para Espanha conhece um espanhol, o filho nasce e não tem dúvida de que essa criança vai ser espanhola.

Situação 2: Uma espanhola vai ao Brasil e conhece a um brasileiro, se tiver um filho com ele, a criança também será espanhola, porque não importa onde fisicamente a criança vai nascer, o que importa é que ela é descendente de uma espanhola nata.

Se você quer saber o que acontece quando nasce no Brasil filho de um espanhol que também nasceu no Brasil, dá uma olhada nos vídeos que é importante você saber sobre prazos.

Situação 3: Dois brasileiros que estão morando na Espanha e tem um filho aqui, o que acontece quando você tem essa criança no território?

Sim, seu filho/filha pode solicitar à nacionalidade espanhola porque ambos país são brasileiros e o Brasil está incluído na lista de simple presunción.

Mas fique atento, você não deve registrar a criança no consulado brasileiro, porque se ela adquirir a nacionalidade brasileira vai perder a possibilidade de ter a espanhola.  

Primeiro você deve registrar a criança na Espanha antes. É importante que primeiro a criança adquira a nacionalidade espanhola e somente depois solicitar a nacionalidade brasileira, se desejar. Se fizer o contrário vai perder o direito a nacionalidade espanhola.

Você quer saber o procedimento integral para solicitar a nacionalidade do seu filho que nasceu aqui na Espanha? Entre em contato.

Agora a pergunta que eu já recebi algumas vezes: “Somos brasileiros e tivemos um filho agora em território espanhol, tudo bem ele vai ter direito à nacionalidade, mas como é que fica minha situação? Nós como pais, também queremos adquirir a nacionalidade. Podemos?

O fato do seu filho ter a nacionalidade espanhola não concede ao pais a nacionalidade espanhola, mas pode legalizar sua situação em território espanhol.

Os pais de um menor espanhol terão direito a ficar em território espanhol de maneira legal, com autorização de residência e trabalho. Isso não te dá imediatamente direito à nacionalidade, mas por ser brasileiro, após 2 anos de residência legal, poderá solicitar a nacionalidade por residência.

Matérias para a PCE

Se a forma de entrada da Universidade for PCE modalidade bachillerato, deve passar em 1 matéria de cada grupo (mínimo 3 matérias) Aconselho se inscrever no mínimo em 4 provas, para ter uma matéria de reserva.

Se a forma de acesso for PCE EBAU deve fazer obrigatoriamente as 4 do grupo de “troncales” e, opcional escolher duas das matérias de opção. Mas aconselhamos fazer as 6 matérias. (quando te pedir EBAU nunca fazer só as 4 obrigatórias por causa da nota)

.

Quais profissões exigem mestrado antes de poder exercer na Espanha?

Antes de lista dizer a lista de profissões exigem mestrado para exercer na Espanha é preciso entender o motivo. Na Espanha existem algumas profissões que devem ser complementadas com uma formação superior à graduação, é necessário fazem um mestrado profissional para permitir o exercício de uma profissão.

Nessa linha, então, podemos definir o mestrado profissional como o ensino superior necessário para seguir determinada carreira. São profissões que requerem um grau de mestre qualificado para o exercício.

Atualmente, existem treze profissões (designadas por atividades profissionais regulamentadas) nas quais é necessário obter um grau de mestre qualificado para o exercício regular desta profissão.

Isto significa que a grande maioria das graduações permitem o exercício das respectivas profissões diretamente com o diploma brasileiro ou exigindo apenas a homologação do diploma no MEC.

Lista de graduações que exigem o mestrado profissional:

  • Psicólogo/a
  • Arquiteto/a
  • Advogado/a
  • Procurador/a (é uma profissão que não exite no Brasil, já que no Brasil é o/a advogado/a quem faz essa tarefa também)
  • Professor de ensino fundamental e de ensino médio.

Nas engenharias

  • de caminhos, canais e portos
  • de minas
  • industrial
  • aeronáutico
  • agrônomo
  • de montanha
  • naval
  • de telecomunicações.

e-book GUIA COMPLETO SOBRE VISTO DE ESTUDANTE DA ESPANHA. 

Um guia para te ajudar a tramitar seu visto de estudante espanhol. Tudo que você precisa saber sobre requisitos, documentos, prazos, e dicas para facilitar esse processo. Em outras palavras, seu melhor amigo!  

São 55 páginas de muita informação, por isso, tentei fazer o mais dinâmico possível. Espero que você aproveite cada detalhe. Este guia está pensado para que você o utilize durante cada passo do processo, consultando os documentos necessários e o procedimento sempre que precisar. 

Criei esse e-book com muito carinho para te ajudar a tramitar se visto de estudante da maneira más fácil possível.
 
Você receberá seu e-book, em formato PDF, para ler no celular, tablet ou computador. 
 
Autorização de casamento com Espanhol negada

Resoluciones de la Dirección General de los Registros y del Notariado

(Registro Civil)

Resolución de 13 de julio de 2019 (34ª)

 Autorización de matrimonio

Se deniega porque hay datos objetivos bastantes para deducir la ausencia de consen- timiento matrimonial.

En el expediente sobre autorización de matrimonio remitido a este centro directivo en trámite de recurso por virtud del entablado por los interesados contra el auto del Encargado del Registro Civil de Santas Martas.

HECHOS

  1. Mediante escrito presentado en el registro civil, don E. S. M. R. nacido España y de nacionalidad española y doña J. R. D. S. nacida en Brasil y de nacionalidad brasileña, solicitaban autorización para contraer matrimonio civil. Se acompañaba la siguiente documentación: certificado de nacimiento, certificado de matrimonio con inscripción marginal de divorcio y volante de empadronamiento del interesado y tarjeta de régi- men comunitario, certificado literal de nacimiento, certificado de matrimonio con ins-cri pción de divorcio y volante de empadronamiento de la interesada.
  2. Ratificados los interesados, comparecen dos testigos que manifiestan que tienen el convencimiento de que el matrimonio proyectado no incurre en prohibición legal alguna. Se celebran las entrevistas en audiencia reservada. El ministerio fiscal se opone al matrimonio proyectado. El encargado del registro civil mediante auto de fecha 29 de noviembre de 2018 no autoriza la celebración del matrimonio.
  3. Notificados los interesados, éstos interponen recurso ante la Dirección General de los Registros y del Notariado, solicitando que se autorice la celebración del matrimo-ni o.
  • Notificado el ministerio fiscal, éste emite un informe desfavorable. El encargado del registro civil remite el expediente a la Dirección General de los Registros y del Notariado para su resolución.

FUNDAMENTOS DE DERECHO

  1. Vistos los artículos 16 de la Declaración Universal de Derechos Humanos; 12 del Convenio de Roma de 4 de noviembre de 1950, sobre protección de los derechos humanos y de las libertades fundamentales; 23 del Pacto Internacional de Nueva York de 19 de diciembre de 1966 de derechos civiles y políticos; la resolución del Consejo de la Unión Europea de 4 de diciembre de 1997 sobre las medidas que deberán adoptarse en materia de lucha contra los matrimonios fraudulentos; los artículos 10, 14 y 32 de la Constitución; 3, 6, 7, 44, 45, 73 y 74 del Código Civil; 386 de la Ley de Enjuiciamiento Civil; 238, 245, 246, 247 y 358 del Reglamento del Registro Civil; la Instrucción de 9 de enero de 1995; la Instrucción de 31 de enero de 2006; y las reso- luciones, entre otras, de 30-2ª de diciembre de 2005; 31-3ª de mayo, 27-3ª y 4ª de junio, 10-4ª, 13-1ª y 20-3ª de julio, 1-4ª, 7-3ª y 9-2ª de septiembre, 9-1ª, 3ª y 5ª de octubre, 14-2ª, 5ª y 6ª de noviembre y 13-4ª y 5ª de diciembre de 2006; 25-1ª, 3ª y 4ª de enero, 2-1ª , 22-2ª, 27-3ª y 28-4ª de febrero, 30-5ª de abril, 28-6ª y 30-4ª de mayo, 11-3ª y 4ª, 12-3ª de septiembre, 29-4ª y 6ª de noviembre, 14-1ª y 4ª y 26-5ª de diciem- bre de 2007, 24-4ª de abril y 19-2ª de diciembre de 2008.
  2. En el expediente previo para la celebración del matrimonio es un trámite imprescin- dible la audiencia personal, reservada y por separado de cada contrayente, que debe efectuar el Instructor, asistido del secretario, para cerciorarse de la inexistencia del impedimento de ligamen o de cualquier otro obstáculo legal para la celebración (cfr. art. 246 RRC).
  3. La importancia de este trámite ha aumentado en los últimos tiempos, especialmen- te en los matrimonios entre español y extranjero, en cuanto que por él puede en oca- siones descubrirse el verdadero propósito fraudulento de las partes, que no desean en realidad ligarse con el vínculo matrimonial, sino aprovecharse de la apariencia matri- monial para obtener las ventajas que del matrimonio resultan para el extranjero. Si, a través de este trámite o de otros medios, el encargado llega a la convicción de que existe simulación, no debe autorizar un matrimonio nulo por falta de verdadero con- sentimiento matrimonial (cfr. arts. 45 y 73-1º CC).
  4. Ahora bien, las dificultades prácticas de la prueba de la simulación son sobrada- mente conocidas. No existiendo normalmente pruebas directas de ésta, es casi siem- pre necesario acudir a la prueba de presunciones, es decir, deducir de un hecho o de unos hechos demostrados, mediante un enlace preciso y directo según las reglas del criterio humano, la ausencia de consentimiento que se trata de probar (cfr. art. 386 LEC).
  5. En el caso actual se trata de la solicitud de autorización para contraer matrimonio civil, entre un ciudadano español y una ciudadana brasileña y de las audiencias reser-

vadas se desprenden determinados hechos objetivos de los que cabe deducir que el matrimonio que se pretende celebrar no persigue los fines propios de esta institución. El interesado contrajo matrimonio con una ciudadana bielorrusa en el año 2003 y se divorció de la misma en el año 2012. El interesado desconoce los nombres de los hijos y hermanos de ella; desconocen los ingresos que tiene el otro, el interesado declara que a ella le han operado de vesícula cuando ella dice que no le han operado de nada. El interesado dice que se conocieron en el año 2011 en P. o V. (no recuerda), por telé- fono porque estaba buscando una empleada de hogar, ella declara que se conocieron hace ocho años en V. a través de unos amigos. El interesado afirma que iniciaron su relación de pareja a los diez días de conocerse, sin embargo, ella indica que fue al mes de conocerse. La interesada manifiesta que decidieron casarse hace un par de años y él dice que hace uno. A pesar de declarar que viven juntos, sin embargo, tanto en las entrevistas como en el recurso declaran que viven él en la calle C. de M. en la localidad de M. de P. y ella en la calle L. F. en la localidad de R. Por otro lado, el interesado es 38 años mayor que ella.

Esta dirección general, a propuesta de la Subdirección General de Nacionalidad y Estado Civil, ha acordado que procede desestimar el recurso y confirmar el auto apela- do.

Madrid, 13 de julio de 2019

Preço universidades na Espanha

Muitas pessoas me perguntam sobre o valor da universidade na Espanha. Hoje achei esse gráfico que pode ajudar bastante a entender como funciona o preço das universidades públicas.

1) O preço é estabelecido por crédito, ou seja, você deve multiplicar o preço individual pelo número de créditos que vai cursar no ano, normalmente são 60 créditos por ano, totalizando 240 créditos no final. Na Andalucía, por exemplo, o crédito custa 12,62€ e o primeiro ano deve, obrigatoriamente, se matricular de 60 créditos, então sairia 757,20€ por ano. 
 
2) O preço da universidade pode variar de acordo com o ramo de conhecimento. Assim, pode ser o custo de crédito para o Curso de Direito seja um valor menor que para o curso de Medicina.   
 
3) Todos os anos a lei se atualiza e o preço pode mudar ou não, o curso 2020/2021, por exemplo, terá o mesmo valor do ano passado 2019/2020. 
 
4) Cada Comunidad Autonoma tem liberdade para determinar o preço das suas universidades públicas, por isso é tão mais barato nas universidades da Andalucía que nas universidades da Cataluña.
 
5) Esse gráfico faz uma estimativa de quanto custa o ano nas universidades de cada Comunidad Autonoma, mínimo e máximo, já que, como disse no ponto 2, o preço pode variar dentro da mesma universidade de acordo com o ramo do conhecimento. 
 
Gosto do post?? Não esquece de compartilhar com seus amigos e amigas. 
Sobrenomes espanhóis

Muita gente me perguntou porque alterei a ordem dos meus sobrenomes quando adquiri a nacionalidade espanhola. Bom, aqui a resposta para as perguntas e para quem está pensando em adquirir a nacionalidade ou ter um filho/a aqui:

1) Primeiro, a ordem dos sobrenomes é diferente, aqui, tradicionalmente, o primeiro sobrenome de uma pessoa é o paterno, seguido do materno.

2) Na Espanha a mulher não muda o nome quando casa, ou seja, não perde o sobrenome materno para adquirir o sobrenome paterno do marido, como acontece (antes obrigatório e hoje tradicionalmente) no Brasil.

2) Isso tem consequência direta quando se tem um filho ou filha, já que o nome da criança será composto pelo sobrenome do pai e depois do sobrenome da mãe. E não ficará com o nome igual ao da mãe.

3) É possível ter mais de 2 sobrenomes se eles forem compostos, mas nunca pode ter somente 1 sobrenome. Desta forma, se os pais quiserem colocar os dois sobrenomes de cada um, ficaria assim: Cristian Mariscal-Romero (1° sobrenome) Gago-Ruiz (2° sobrenome).

4) sim, nas fotos usei como exemplo os dados do meu marido 😅

5) Por isso, quando eu adquiri a nacionalidade espanhola em 2019, decidi adaptar meu nome ao estilo espanhol (não era obrigatório) e coloquei meu primeiro sobrenome paterno KALIL e como segundo sobrenome o materno SOUZA. Amanda Kalil Souza

6) Esse é meu nome de espanhola, mas como tenho dupla nacionalidade, meu nome de brasileira segue com o Kalil por último.

😁
#Espanha #nacionalidade #cidadania #nomesespanhois #curiosidadesdaespanha #registrocivil

Fazer Graduação na Espanha

Esta é a parte que mais amo do meu trabalho, presenciar grandes conquistas. Parabéns as novas universitárias e ao novo universitário que acabaram de ser aprovados num universidade espanhola👏
E obrigada por confiar no meu trabalho!! 

Nos vemos em setembro de 2020 para começar essa nova jornada de estudar na Espanha. 

Lista de países permitidos na UE

Acaba de ser oficial a lista de países. Apenas quinze países terão acesso a UE através da fronteira exterior a partir de amanhã, 1 de julho.
A lista se revisará a cada duas semanas para adapta-la.

A lista de países cujo nacionais poderão entrar na UE como turista: Argélia, Austrália, Canadá, Japão, Montenegro, Nova Zelândia, Ruanda, Sérvia, Coreia do Sul, Tailândia, Tunísia, Uruguai, Geórgia, Marrocos e China (os dois últimos com condição).

Gigantes como Estados Unidos, Brasil e Rússia ficam de fora deste primeiro momento.

Esta proibição de entrada se restringe a turistas, pessoas que tenham um visto de entrada, “tarjeta” de residência ou dupla cidadania podem entrar livremente.

#ue #uniaoeuropeia #paisesproibidos #turistas

Idioma