Estudar na Espanha: 3 dicas para começar do zero

Se você pretende estudar na Espanha mas ainda não sabe por onde começar, esse artigo é para você! Chegou a hora de tirar seu plano do papel.

Estudar na Espanha: 3 dicas para começar do zero

 

 

Estudar na Espanha é o sonho de muitos brasileiros. Seja para aprender e aprimorar o castelhano, adquirir habilidades técnicas, incrementar o currículo ou mergulhar de cabeça em uma nova cultura. Iniciar os estudos em uma instituição de ensino espanhola é um sonho possível, desde que acompanhado de um bom planejamento. E é disso que vou falar no blog de hoje. Confira!  

 

O QUE ESTUDAR NA ESPANHA

As opções para estudar na Espanha são variadas. Por isso, o primeiro passo é entender qual o objetivo do estudo, por exemplo: raduação, mestrado, doutorado, curso de idioma e por aí vai. 

Uma vez que já se sabe o que estudar na Espanha, é chegada a hora de pesquisar os centros de ensino que são referência na área desejada e que são reconhecidos pelas autoridades competentes. Do mesmo modo, vale pesquisar na internet reviews de ex-alunos. Assim, você pode estar mais seguro sobre a qualidade de ensino oferecida e até mesmo tirar dúvidas com quem já viveu uma experiência parecida.  

No caso dos cursos de idiomas, uma boa opção é optar por escolas reconhecidas pelo Governo. No site do Ministério de Educação e Formação Profissional há listas de cursos de espanhol para estrangeiros na Espanha.  

  

PLANEJAMENTO FINANCEIRO 

Para que o plano de estudar na Espanha saia do papel é necessário iniciar um planejamento financeiro o quanto antes. Desta forma, antes de mais nada, há três fatores a serem considerados: o tipo de curso, a duração e o local.    

Vale lembrar que, ao contrário do Brasil, as universidades públicas na Espanha não são totalmente gratuitas. Por isso, cursos de graduação, mestrado e doutorado também são pagos – ainda que um valor bem menor quando comparado às faculdades particulares.  Assim, se atente ao preço total do curso, pois este varia em cada comunidade autónoma. Em 2018, por exemplo, o custo anual de uma graduação em uma universidade pública da Galícia estava entre €591 e €836, enquanto na Catuluña, os valores variavam de €1516 a €2372. 

Além disso, pesquise as taxas cobradas para matrículas de estrangeiros, já que em algumas instituições o valor pode variar para quem é espanhol e para quem é de outra nacionalidade.

Passados os três fatores essenciais, é hora de entender qual padrão de vida você deseja ter enquanto estuda na Espanha, para assim calcular quantos euros serão necessários mensalmente para custear gastos como: moradia, alimentação, transporte, saúde e lazer. Coloque tudo na ponta do lápis e estime o tempo necessário para levantar a quantia.

 

 

LEGALIZAÇÃO E TRADUÇÃO DE DOCUMENTOS

 

 

Próximo passo: saiba qual a documentação exigida pela instituição de ensino. Em casos de mestrado, por exemplo, é preciso apresentar o diploma da graduação, o histórico escolar, um atestado de acesso à pós-graduação e um certificado de proficiência em espanhol – além dos documentos específicos estabelecidos por cada programa.

No entanto, não basta ter os documentos em mãos. Para estudar na Espanha é necessário legalizá-los por meio da Apostila da Convenção da Haia – um certificado internacional que confirma a veracidade de documentos públicos e que pode ser obtido em cartórios habilitados pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Após a legalização, os documentos devem ser traduzidos por um profissional jurado pelo Governo Espanhol.

E aí, ficou um pouco mais claro quais os primeiros passos a se dar para estudar na Espanha? Para ter acesso a mais conteúdos como este, acesse meu canal no YouTube e, em caso de dúvidas específicas, envie um email para: info@amandakalil.com ou acesse o formulário de contato.

Inscreva-se na nossa newsletter para receber diretamente o conteúdo
Idioma